• YouTube
  • Facebook
  • Twitter

07/12/17 14:31

Mãe de Geddel fica em silêncio em depoimento à Polícia Federal

A procuradora-geral, Raquel Dodge, solicita ainda que Marluce cumpra prisão domiciliar.
WhatsApp
A mãe do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), Marluce Vieira Lima, ficou em silêncio em seu depoimento à Polícia Federal na última sexta-feira (1º).

Na segunda (5), a PGR (Procuradoria-Geral da República) pediu a condenação dela e de seus filhos, também o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), por lavagem de dinheiro e associação criminosa no caso do "bunker" de R$ 51 milhões.

No documento enviado ao STF (Supremo Tribunal Federal), a procuradora-geral, Raquel Dodge, solicita ainda que Marluce cumpra prisão domiciliar.

Na superintendência regional da PF na Bahia, em Salvador, a mãe dos peemedebistas disse que não responderia a nenhuma pergunta por orientação de seus advogados.

No termo do depoimento, há relato de que a defesa de Marluce argumentou que a autoridade policial terminou seu relatório sobre o caso antes de tomar o depoimento da investigada.

"Muito embora fosse de conhecimento formal da autoridade policial que preside a investigacão que a oitiva seria realizada nesta data, a defesa técnica foi surpreendida com o extemporâneo encerramento das investigações, com a apresentação de relatório, inclusive", consta no documento.

"Assim sendo, entende a defesa que a autoridade policial não quer qualquer tipo de esclarecimento, eis que, em sendo assim, seja pelo direito constitucional o silêncio, seja pelo vínculo familiar com o outro investigado, a defesa assume a responsabilidade técnica pela orientação da manutenção em silêncio", argumentou a defesa no dia do depoimento da matriarca da família.

Em 21 de novembro, o advogado de Marluce se manifestou no inquérito no STF dizendo que ela estava à disposição para esclarecimentos, no sentido de "restabelecer a verdade".

No dia 25 de novembro, a PF escreveu em documento para o Supremo que não conseguiu localizar a mãe de Geddel. Foram feitas tentativas, segundo a polícia, no apartamento em Salvador, no apartamento funcional de Lúcio em Brasília e também no presídio da Papuda, onde Geddel está preso desde o início de setembro.

CLOSET

Segundo Job Ribeiro, um ex-assessor da família, os políticos guardavam "muito dinheiro no apartamento de Marluce". O ex-funcionário disse à PF que contava dinheiro no closet do quarto da mãe dos irmãos Vieira Lima.

Bocão News.

mais notícias » Leia também