conecte-se conosco



BAHIA

Casos de queimaduras já chegam a 74 na primeira quinzena do mês no HGE

Com a volta dos eventos presenciais, ocorrências são quase o dobro de 2019.

Compartilhe

Publicado

em

Foto: Divulgação | Caio Csermark

Com a alegria das festas juninas chega também a preocupação acerca das queimaduras provocadas em fogueiras, bem como as lesões causadas pelos fogos de artifício neste período do ano. A volta dos eventos presenciais, depois de dois anos de proibição por causa da pandemia, já levou ao registro de 74 casos atendidos no Hospital Geral do Estado (HGE) entre 1º a 15 deste mês, número quase o dobro de 2019, quando, entre 23 e 30 de junho foram 40 casos.

Dentre os explosivos, os clandestinos (a exemplo das espadas de fogo) têm maior potencial de perigo, mas para todos os casos é necessário atenção total para evitar acidentes, lembrou o cirurgião-plástico Victor Felzemburg.

Ele é especialista no assunto e atua no HGE, unidade de saúde referência na Bahia para os casos de queimados, que está com uma equipe escalada com cerca de 200 profissionais para receber os casos mais graves vindos de todas as regiões do estado.

Conforme a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), além do HGE, também o Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus (HRSAJ) e o Hospital do Oeste (HO), em Barreiras, têm Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), uma espécie de UTI com médicos plantonistas, enfermeiros, técnicos de enfermagem e fisioterapeutas 24 horas.

Embora este ano a Bahia não tenha deflagrado campanha específica para alertar a população para os perigos da brincadeira com fogos, “a Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ) e a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) estão com campanhas de prevenção para estimular a conscientização”, afirmou Felzemburg.

Ele é secretário da regional Bahia da SBCP e destacou que além de ler os manuais que devem acompanhar os fogos, é importante observar o local adequado, para evitar que terceiros sejam atingidos, bem como imóveis e redes de energia.

Conforme o especialista, todos artefatos representam perigo. “Mesmo uma inocente chuvinha destinada ao público infantil, pode pegar fogo nas roupas e provocar sérias lesões. Por isso um adulto deve sempre estar atento com as crianças”, aconselhou.

Coordenador da cirurgia plástica do Hospital Mater Dei Salvador, o médico Carlos Briglia destacou que o manuseio dos artefatos e das fogueiras deve ser proibido para crianças desacompanhadas de um adulto responsável, bem como por pessoas que ingeriram bebidas alcoólicas, pois o perigo é dobrado.

Ele enfatizou que a primeira providência após uma queimadura deve ser “lavar o local com água corrente e sabão, se a pessoa suportar a dor, enrolar com um pano limpo e encaminhar para uma unidade de saúde, para que receba o tratamento adequado para o caso”, disse alertando que não se deve colocar nenhum produto ou medicamento por conta própria.

Ainda conforme Briglia, a diferença principal entre uma explosão e uma queimadura é a forma de lesão, que no primeiro caso é provocado por uma avulsão (extração de um órgão ou parte de órgão), geralmente com perda de partes ou toda a mão. Já a queimadura causada em fogueiras e outros tipos de fogos se concentra na pele, pode ser de diferentes graus de profundidade. Ambos os casos podem levar a óbito.

Brincadeira perigosa

Embora proibida por lei desde 2011, a guerra de espadas continua ocorrendo e, este ano, já deixou entre as vítimas uma criança de 11 anos, da cidade de Cruz das Almas. De acordo com a apuração da Polícia Civil, Alex Ribeiro Costa estava brincando na rua, na noite de 13 de junho, quando um rojão tipo espada de fogo foi solto e atingiu o menino no rosto, quebrando 11 dentes.

Depois de atingida a criança foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade e em seguida transferida para o Hospital Estadual da Criança (HEC), em Feira de Santana, diante da gravidade da situação.

Estável, mas demandando muitos cuidados, ele permanece internado no HEC. O menino já passou por duas cirurgias e aguarda a realização de uma terceira intervenção, já programada.

Segundo testemunhas, a pessoa que soltou o artefato direcionou para o chão, sem intenção de atingir as pessoas. Ele se apresentou na delegacia, prestou depoimento e vai responder o processo por crime de explosão em liberdade.

De acordo com a Secretaria de Saúde de Cruz das Almas, o conselho tutelar está apoiando e acompanha a vítima, considerando que a família se encontra em estado de vulnerabilidade social.

Em nota a prefeitura reforçou que a guerra de espadas, apesar de ser uma tradição, está proibida e que o poder judiciário e as forças de segurança são os responsáveis pela fiscalização.

“A Prefeitura alerta a população para que cumpra a decisão judicial, reconhecendo os riscos da guerra de espadas, e salienta os cuidados que devem ser adotados ao manejar quaisquer fogos de artifício”, consta na nota.

A Tarde

Compartilhe
CONTINUE LENDO

BAHIA

Gás de cozinha fica mais caro na Bahia a partir desta sexta

Este já é o quarto reajuste no preço do produto somente em 2022.

Compartilhe

Publicado

em

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Julho já começa com uma péssima notícia para os baianos. O gás de cozinha vai ficar mais caro no estado a partir desta sexta-feira (1º). Segundo o Sindicato de Revendedores (Sindrevgás) o preço para as distribuidoras foi reajustado em R$ 4,90 e o repasse para o consumidor ficará entre R$ 5 e R$ 7.

A medida faz valer a política da Acelen , empresa que controla a refinaria Mataripe (ex-RLAM), de que no dia 1° de cada mês irá rever os preços praticados, podendo haver aumento ou diminuição no valor do produto. De acordo com a TV Bahia, a Acelen não afirmou o aumento, porém, segundo o sindicato, a informação já foi passada para as revendedoras.

Segundo o levantamento semanal da Agência Nacional de Petróleo (ANP), entre os dias 19 e 25 de junho, o preço médio do botijão vendido na Bahia era de R$ 105,78. O valor mais caro do produto no estado foi de R$ 130,00 e o mais barato foi encontrado por R$ 90,00.

Este já é o quarto reajuste no preço do produto somente em 2022. A última alteração aconteceu no início de maio, quando ao contrário das outras vezes, o botijão ficou 10,7% mais barato.

Bahia Notícias

Compartilhe
CONTINUE LENDO

BAHIA

Bahia tem mais de 8 mil casos ativos de Covid-19; veja mais dados da doença nas últimas 24h no estado

Segundo Sesab, nas últimas 24 horas foram registrados 2.744 novos casos conhecidos.

Compartilhe

Publicado

em

Foto: SUAMY BEYDOUN/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

A Bahia segue com números de pacientes com Covid-19 em alta. Nesta quarta-feira (29), o estado tem 8.075 pessoas com coronavírus ativo. O estado registrou uma mortes de pessoas nas últimas 24 horas, vítimas da Covid-19, e 2.744 novos casos ativos, de acordo com o boletim publicado pela Secretaria da Saúde do estado (Sesab) nesta quarta.

De acordo com o órgão, a taxa de novos casos corresponde a um crescimento de +0,17% em relação ao boletim anterior, divulgado na terça (28), e 1.614 pessoas foram consideradas recuperadas nas últimas 24 horas.

Desde o início da pandemia, a Bahia contabiliza 30.025 mortes causadas pela doença, com 1.572.789 de casos confirmados.

O boletim desta quarta-feira registra ainda que 1.908.319 casos foram descartados e 342.588 permanecem em investigação.

Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até às 17h desta quarta.

Os dados ainda podem sofrer alterações devido à instabilidade do sistema do Ministério da Saúde. A base ministerial tem, eventualmente, disponibilizado informações inconsistentes ou incompletas.

Todos os detalhes sobre o boletim epidemiológico podem ser conferidos na plataforma disponibilizada pela Sesab na internet ou pela Central Integrada de Comando e Controle da Saúde do órgão.

Vacinação

Até o momento a Bahia tem 11.615.288 pessoas vacinadas com a primeira dose, 10.688.481 com a segunda dose ou dose única, 6.317.522 com a dose de reforço e 689.976 com o segundo reforço.

Do público de 5 a 11 anos, 970.904 crianças já foram imunizadas com a primeira dose e 553.929 já tomaram também a segunda dose.

Leitos

A Bahia tem 456 leitos ativos para tratamento da Covid-19. Desse total, 141 estão com pacientes internados, o que representa taxa de ocupação geral de 31%.

Desses leitos, 190 são de UTI adulto e estão com taxa de ocupação de 35% (66 leitos ocupados).

Nas UTIs pediátricas, 10 das 23 vagas estão com pacientes (43% de ocupação). Os leitos clínicos para adultos estão com 27% de ocupação e os infantis, com 11%.

Conteúdo G1

Compartilhe
CONTINUE LENDO

BAHIA

Bahia tem alta na geração de empregos em maio; mais de 16 mil novos postos foram registrados

Estado liderou a geração de empregos no mês no Nordeste. Salvador registrou 4.326 postos no mês.

Compartilhe

Publicado

em

Foto: Joá Souza/Futura Press via Estadão Conteúdo

Maio foi o mês de 2022 no qual mais empregos foram gerados na Bahia. Ao todo, foram 16.342 novos postos, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Durante o mês, 76.499 funcionários foram contratados e 60.157 desligados. Com esse saldo positivo, o estado passou a contar com 1.860.558 vínculos celetistas ativos, uma variação de 0,89% sobre o número do mês anterior. Já a capital do estado registrou um saldo de 4.326 postos de trabalho celetista.

Com os números de maio, a Bahia ocupou a primeira posição na geração de postos entre os estados nordestinos. A nível nacional, o estado ficou na quarta colocação.

Todos os cinco grandes grupamentos de atividades econômicas registraram saldo positivo de postos de trabalho. O segmento de Serviços (+4.887 vagas) foi o que mais gerou postos de trabalho celetistas, seguido da Indústria geral (+4.037 vagas), Construção (+3.649 postos), Comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas (+2.258 vagas) e Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura.

No acumulado de 2022, levando em conta a série ajustada, que incorpora as informações declaradas fora do prazo, a Bahia preencheu 62.906 novas vagas. Dentre as vagas, Salvador registrou 18.704 novos postos.

O acumulado do ano faz com que a Bahia ficasse à frente das demais do Nordeste, seguida de Ceará e Maranhão. Em nível nacional, o estado ficou na oitava posição.

Empregos no Brasil

No mês, o Brasil computou um saldo de 277.018 vagas, enquanto o Nordeste registrou um ganho de 48.847 novos postos.

Na Região Nordeste, a Bahia (+16.342 postos) foi seguida pelos estados do Ceará (+7.472 postos), Pernambuco (+6.508 postos), Maranhão (+4.910 vagas), Rio Grande do Norte (+3.519 postos), Alagoas (+3.435 postos), Paraíba (+3.128 postos), Piauí (+2.678 postos) e Sergipe (+855 postos).

Do ponto de vista da variação relativa mensal do estoque, o estado de Alagoas (+0,95%) foi acompanhado pelo Maranhão (+0,92%), a Bahia (+0,89%), Piauí (+0,88%), Rio Grande do Norte (+0,80%), Paraíba (+0,72%), Ceará (+0,62%), Pernambuco (+0,51%) e Sergipe (+0,30%).

O crescimento do emprego celetista também foi observado no Brasil e no Nordeste no acumulado de janeiro a maio, com 1.051.503 e 96.913 novas vagas, respectivamente.

Conteúdo G1

Compartilhe
CONTINUE LENDO

Mais Lidas

novo