conecte-se conosco




ESPORTE

Com gol no final, Vitória consegue primeira vitória contra o Internacional

Os gols do Leão foram marcados pelo volante William Oliveira e pelo zagueiro Wagner Leonardo.

Compartilhe

Publicado

em

Crédito: Victor Ferreira/EC Vitória

Foram 77 dias desde que o torcedor do Leão comemorou a última vitória na temporada. 77 dias de empates, derrotas e uma eliminação na Copa do Brasil. Para acabar com a sina dos rubro negros, coube a William Oliveira e Wagner Leonardo o papel de devolver o sorriso ao estádio Manoel Barradas contra o Internacional neste domingo (16). O gol dos gaúchos foi marcado por Wesley, ex-jogador do Leão. Antes da bola rolar, o Vitória era a única equipe do Campeonato Brasileiro sem conseguir vencer.

Com o resultado, o Leão chega aos seis pontos e ocupa a 18ª posição da competição, empatado com Fluminense, Vasco e Grêmio. Porém, o saldo de gols inferior aos rivais mantém a equipe no Z-4. Depois de, enfim comemorar, o Vitória agora concentra seus esforços para a partida contra o Atlético-MG, também no Barradão. A bola rola nesta quinta-feira (18), às 18h30.

Conteúdo Correio

Compartilhe
CONTINUE LENDO

ESPORTE

Bahia joga mal contra o Cuiabá e perde a primeira dentro de casa no Brasileirão

O gol do Esquadrão foi marcado por Jean Lucas; Isidro Pitta marcou duas vezes para os visitantes

Compartilhe

Publicado

em

Crédito: Rafael Rodrigues/EC Bahia

Em um jogo atípico para os comandados de Rogério Ceni, o torcedor do Bahia que reservou a tarde deste sábado (13) para ver uma das equipes que briga pela liderança do Campeonato Brasileiro não saiu contente da Arena Fonte Nova pelo desempenho do time contra o Cuiabá. A partida, válida pela 17ª rodada do Brasileirão, ficou marcada por um início nervoso do clube tricolor. Enquanto Jean Lucas fez para os donos da casa, o paraguaio Isidro Pitta marcou duas vezes para dar o triunfo aos visitantes.

Com a derrota por 2×1, o Bahia termina a partida com os mesmos 30 pontos e ocupando a quarta colocação da Série A. Com três pontos de diferença para o líder Botafogo, o Esquadrão agora vai precisar se preparar para enfrentar o Corinthians na Arena Fonte Nova, no próximo domingo (21). A bola rola a partir das 16h.

O JOGO

Quando o apito soou pela primeira vez, a Arena Fonte Nova estremeceu com o Bahia em mais uma atuação no Campeonato Brasileiro. No entanto, o início da partida fez o torcedor tricolor suar frio. Antes do relógio marcar três minutos, dois erros na saída de bola do Bahia fizeram Isidro Pitta tirar suspiros da arquibancada em falhas de Cicinho e Kanu.

Mais em cima, os visitantes aproveitaram de um começo nervoso dos donos da casa para tomar o jogo para si. Sem a bola, o Cuiabá subiu as linhas e aumentou a pressão na linha defensiva do Bahia. As investidas do adversário só diminuíram quando o Esquadrão passou a controlar mais a bola para construir o jogo com tranquilidade. No entanto, a melhora não foi suficiente para impedir a boa partida dos rivais, que usaram da velocidade chegar ao gol de Marcos Felipe.

Aos 20 minutos, o Cuiabá ganhou escanteio e Derik Lacerda cobrou na cabeça de Isidro Pitta. Sozinho ao lado do goleiro tricolor, o centroavante paraguaio subiu sem marcação e testou para o fundo das redes. Após três chances perdidas, o atacante não perdoou a falha na marcação tricolor e abriu o placar: 1×0

Após o gol sofrido, a equipe comandada por Rogério Ceni precisou acalmar os ânimos e aumentar a concentração para voltar a imprimir o estilo de jogo que colocou o clube na briga pela liderança. Aproximações, trocas de passe rápidas e dribles curtos voltaram a ser vistos, mas não surtiam efeito frente ao bloqueio mato grossense. Nem a estreia do lateral esquerdo Iago Borduchi foi suficiente para empolgar o torcedor na Fonte Nova, que assistiu ao novo jogador fazer um primeiro tempo discreto.

Na volta do intervalo, a conversa de Rogério Ceni no vestiário fez efeito imediato. O Bahia voltou com mais ímpeto ofensivo e verticalidade, o que culminou na mudança do marcador. Aos três minutos do segundo tempo, Everton Ribeiro cruzou e Jean Lucas apareceu dentro da área para desviar a bola e empatar a partida: 1×1.

A empolgação com o gol cessou dois minutos depois, quando Denilson acionou Isidro Pitta com um passe rasteiro e o paraguaio bateu de primeira por baixo das pernas de Marcos Felipe. O segundo gol do Cuiabá, no entanto, não impediu o Tricolor de continuar atacando dentro do jogo. Porém, o desempenho visto em campo era inferior ao que o torcedor do Bahia se acostumou a ver.

O restante do segundo tempo foi marcado por um sentimento misto. O Bahia retomou a posse da bola e passou a circular melhor o jogo, principalmente após as substituições. A construção das jogadas passou a ter mais velocidade, o que não significou um maior aproveitamento contra um Cuiabá bem postado defensivamente. Assim, o tempo foi acabando e o adversário passou a tomar o controle da partida, mostrando tranquilidade para trocar passes até o fim da partida. Por mais que a torcida embalasse e o time tentasse, o apito final veio determinando a primeira derrota do Esquadrão dentro de casa na Série A.

Correio da Bahia

Compartilhe
CONTINUE LENDO

ESPORTE

Bahia enfrenta o Cuiabá, na Fonte Nova, de olho em permanência no G4 e recorde no Brasileirão

Esquadrão entra em campo neste sábado (13), às 16h.

Compartilhe

Publicado

em

Crédito: Tiago Caldas /EC Bahia

Depois de dois jogos seguidos fora de casa, o Bahia matará a saudade do seu torcedor. Neste sábado, o Esquadrão recebe o Cuiabá, às 16h, na Fonte Nova, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. Como tem sido desde o início da Série A, o clube baiano aposta na sinergia com a torcida para vencer mais uma e manter a boa fase na competição.

Melhor mandante do Brasileirão, o Bahia tem 100% de aproveitamento jogando na Fonte Nova. O bom retrospecto em casa explica a campanha positiva da equipe, que inicia a rodada na 4ª colocação, com 30 pontos em 16 jogos. Se vencer o Cuiabá, o tricolor pode ficar mais perto da liderança do campeonato, já que Botafogo e Palmeiras, que ocupam a primeira e segunda colocações, respectivamente, se enfrentam na rodada.

Além disso, mais três pontos fariam o Bahia alcançar o seu melhor início de primeiro turno na elite do futebol brasileiro. Até então, a maior pontuação conquistada pelo clube nos primeiros 19 jogos aconteceu em 2019, quando conseguiu 31.

Apesar do cenário, o clima no CT Evaristo de Macedo é de pés no chão e concentração para fazer um grande jogo. O Cuiabá vem de recuperação no Brasileiro e, na última partida que fez, empatou com o Flamengo no Maracanã. Além disso, o time auriverde chegará ao confronto mais descansado, já que não atuou no meio da semana.

Remanescente da temporada passada, o atacante Biel cobra atenção para que a equipe não repita os erros que cometeu no último encontro com o Cuiabá. No ano passado, o tricolor foi derrotado por 3×0, na Fonte Nova. O Esquadrão, aliás, busca o primeiro triunfo sobre o time do Centro-Oeste. Na história, os times se enfrentaram quatro vezes, com um empate e uma vitória do Dourado.

“No ano passado tivemos uma expulsão logo no início do jogo. Vamos entrar totalmente focados para não cometer os erros que cometemos no ano passado”, disse Biel.

Por sinal, ele é um dos cotados para formar o ataque do Bahia. Autor de um dos gols na vitória sobre o Athletico-PR, o jogador deve substituir Everaldo, que recebeu o terceiro cartão amarelo e está fora da partida. Sem Estupiñan, que deixou o clube e voltou ao Hull City, da Inglaterra, Ratão e Ademir também são opções para o técnico Rogério Ceni.

O comandante terá também o reforço do lateral esquerdo Iago Borduchi, que foi regularizado e está à disposição. Apesar de não ter confirmado a escalação, o treinador vai promover o retorno de peças importantes ao time titular, como Caio Alexandre, Everton Ribeiro e Thaciano. O trio foi poupado diante na última partida da equipe.

“A expectativa é das maiores, o torcedor está sempre em massa para nos apoiar e a gente espera fazer um bom jogo”, completou o atacante.

CUIABÁ

Pelo lado do Cuiabá, a grande novidade é o retorno do atacante Deyverson. Ele foi relacionado depois de quase três meses fora por indisciplina e viajou com a delegação para Salvador. Deve começar a partida no banco, enquanto o paraguaio Isidro Pitta assume o papel de referência do ataque.

O técnico português Petit tem o desfalque do lateral direito Matheus Alexandre, que está machucado, mas ganhou os retornos de Filipe Augusto, André Luís e Raylan, que voltam após suspensão.

Conteúdo Correio

Compartilhe
CONTINUE LENDO

ESPORTE

Em vacilo da defesa, Vitória é superado pelo Botafogo dentro do Barradão

O gol da equipe carioca foi marcado por Savarino, após erro na saída de bola do Leão

Compartilhe

Publicado

em

Foto: Paula Fróes/CORREIO

A noite desta quinta-feira (11) foi marcada pela tensão para o torcedor do Vitória. Entre finalizações para fora, defesas dos goleiros e um pênalti perdido, um possível empate foi negado por Savarino – camisa 10 do Botafogo – quando aproveitou erro na saída de bola do Leão. A partida, válida pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, mostrou uma solidez defensiva da equipe mandante em Salvador durante todo o primeiro tempo. O resultado, no entanto, deixa o torcedor aliviado pelos outros jogos da rodada, já que o rubro negro continua na 15ª colocação e com três pontos de diferença para a zona de rebaixamento. 

Quando o apito marcou o início da partida, o comportamento visto entre as duas equipes seguiu a lógica adotada por Thiago Carpini nas últimas exibições do Vitória. Enquanto o Leão começou recuando as linhas e chamando o Botafogo para construir o  jogo, a equipe adversária mostrava tranquilidade para trocar passes. A equipe rubro negra se portou bem defensivamente, fechando a faixa central do campo. Logo no início, Alerrandro chegou a balançar as redes em cobrança de escanteio, mas a jogada foi invalidada por falta de Wagner Leonardo no goleiro rival.

A dobra de laterais na esquerda, com PK na primeira linha e Lucas Esteves mais à frente, deu uma solidez defensiva pelo flanco esquerdo. Sem espaços deixados pela marcação dos donos da casa, o Botafogo pouco conseguiu criar para furar o bloqueio dos baianos. Porém, a falta de momentos ofensivos não contaminou somente aos cariocas. Mesmo tendo a bola para começar a jogada desde a primeira linha, os jogadores do Vitória também não representaram perigo ao goleiro John. A maior dificuldade foi em conseguir jogar pelas pontas, que é por onde o Leão avança com mais velocidade.

O tempo fechou, a chuva caiu, mas o primeiro tempo acabou sem nenhuma das defesas ser vazada. Dentre as poucas finalizações certas, foi o Botafogo quem conseguiu criar em maior quantidade. No lado rubro negro, apenas Matheuzinho conseguiu tirar um suspiro de quem esteve presente no Barradão. No final dos acréscimos, nenhum chute ou cabeceada foi suficiente para abrir o placar antes do intervalo.

Na volta dos vestiários, o comportamento visto pelas duas equipes foi mudando o panorama do jogo. Antes truncado, tanto Botafogo quanto o Vitória iniciaram a etapa final usando da velocidade para chegar ao gol adversário. Em um momento quando os cariocas aumentaram a pressão, Alerrandro cometeu falta em Gregore dentro da área. O árbitro foi alertado pelo auxiliar e marcou o pênalti para a equipe alvinegra. O meia Eduardo foi para a cobrança e isolou a bola para as arquibancadas do Barradão. Na sequência, o jogador acusou lesão e foi substituído.

Apesar da moral botafoguense diminuir com a chance perdida, foi o Vitória quem vacilou. Aos 16 minutos da segunda etapa, Willean Lepo errou lançamento e entregou a bola nos pés de Tchê Tchê, que entrou na área e finalizou colocado para defesa de Lucas Arcanjo. No rebote, Savarino aproveitou e só precisou completar para o fundo das redes: 1×0 Botafogo.

O baque do gol sofrido evidenciou o grande problema do Vitória dentro da partida. Apesar de mostrar uma organização defensiva, a equipe de Thiago Carpini encontrou muitas dificuldades no ataque. Foram poucas as chances que levaram perigo ao goleiro John durante todo os 90 minutos. Depois do gol, o Botafogo voltou a se acalmar e passou a esperar pelos baianos, que não conseguiam criar muitas oportunidades. No apagar das luzes, Wagner Leonardo e Jean Mota tiraram suspiros dos visitantes, mas não foi o suficiente para somar pontos.

Agora, depois de uma sequência pesada de partidas, Carpini vai poder contar com mais dias de descanso para preparar o Vitória na próxima rodada, quando o Leão enfrenta o Fortaleza no Castelão pela 17ª rodada da Série A. A partida acontece na próxima quarta-feira (17), a partir das 21h30.

Correio da Bahia

Compartilhe
CONTINUE LENDO

Mais Lidas