conecte-se conosco



BAHIA

Governo da BA anuncia realização de concursos públicos para universidades estaduais baianas

Publicado

em

O Governo do estado publicou nesta sexta-feira (15), no Diário Oficial do Estado (DOE), a autorização para a realização de concursos públicos para professores para as quatro universidades estaduais da Bahia.

De acordo com a publicação, serão oferecidas vagas para as classes de professores auxiliares e assistentes, com regimes de 20 e 40 horas, distribuídas entre a Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) e a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).

O anúncio do concurso foi feito pelo governador Rui Costa em suas redes sociais na noite de quinta-feira (15).

“Nesta quinta, assinei autorização para a realização de concurso público para professores para as quatro universidades estaduais da Bahia. São 286 vagas. Vai contribuir com o crescimento das instituições e reforça as bases da educação de qualidade com ensino, pesquisa e extensão”, escreveu.

Serão ofertadas 286 vagas divididas em 161 para professor auxiliar e 125 para assistente. Desse total, a maioria das vagas – 134 professores auxiliares – será direcionada para a Uneb; para a Uesb estão previstos 89 profissionais, sendo 21 professores auxiliares e 68 assistentes; a Uesc irá contar com 49 professores novos, sendo quatro auxiliares e 45 assistentes. As 14 vagas para docentes da Uefs serão divididas em duas para professor auxiliar e 12 para assistente.

Além do concurso, o governo do estado anunciou que estão sendo preparadas convocações para 47 professores aprovados no concurso realizado em 2018 para Uesc e Uefs. Deste total, são 15 auxiliares e 32 assistentes.

Conteúdo G1

Compartilhe
CONTINUE LENDO

BAHIA

Detran-BA realiza leilão virtual de veículos e sucatas em cidades do interior da Bahia

Lances podem ser dados até a próxima sexta (8). Lotes estão custodiados nas cidades de Teixeira de Freitas, Senhor do Bonfim e Conceição do Coité.

Compartilhe

Publicado

em

Foto: Detran/BA

O Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran) realiza um novo leilão virtual nesta semana, onde são negociados veículos conservados e sucatas. Os lances podem ser dados até a próxima sexta-feira (8) e tem lotes custodiados nas cidades de Teixeira de Freitas, Senhor do Bonfim e Conceição do Coité.

Os interessados deverão acessar o site do Detran, na aba leilões, seguir as regras e ver dados sobre o fechamento dos lotes.

No edital do leilão constam endereços dos pátios, datas e horários para visitação prévia dos 285 lotes com orientações gerais aos interessados.

Confira os endereços dos pátios: Conceição do Coité: Rodovia BA120, s/n, Santa Rosa; Senhor do Bonfim: Rodovia Lomanto Júnior, s/n, km 130 200, BR 407 e Teixeira de Freitas: Avenida Pedro Alves Santos, nº 1317, Nova Jerusalém.

Entre os destaques nos lotes estão um veículo modelo VW/Fox, ano 2009/2010, com lance inicial de R$ 2.800,00, no lote 039, e um motocicleta Honda/Pop110, ano 2018/2018, com lance inicial de R$ 750,00, no lote 33.

Retiradas de veículos

Outro edital também publicado pelo Detran baiano é direcionado a proprietários, agentes financeiros, bancos e compradores de veículos. A orientação é sobre a necessidade da retirada dos bens recolhidos nas cidades de Paulo Afonso e Ilhéus.

O prazo é de 60 dias corridos, a partir da data de publicação da notificação para a retirada dos veículos, nos pátios credenciados do Departamento nas respectivas cidades. A lista completa dos veículos está disponível no site do Detran.

Dúvidas poderão ser esclarecidas, através do telefone (71) 3116-2300 ou e-mail: [email protected] , da Comissão de Leilão.

O órgão destaca que essa notificação é para os proprietários dos veículos e os possuidores, que não tenham sido notificados pelo Termo de Remoção de Veículos ou por via postal, por não estarem cadastrados, por não terem sido encontrados pelo agente dos Correios ou por estarem com endereços desatualizados.

Os proprietários devem ficar atentos que, para a retirada dos veículos, é necessário o pagamento das multas, impostos, taxas e despesas com remoção e estadia.

Conteúdo G1

Compartilhe
CONTINUE LENDO

BAHIA

Bahia tem meio milhão de jovens entre 18 e 25 anos inadimplentes

Levantamento feito pela Serasa aponta aumento de 10% no índice em relação ao mesmo período de 2021.

Compartilhe

Publicado

em

Foto: Olga Leiria | Ag. A TARDE

Pagar dívidas no prazo certo tem sido um desafio e tanto para os baianos com idade entre 18 e 25 anos. No estado, o número de jovens inadimplentes no mês de abril deste ano chegou a 543.654 mil, um aumento de 10,1% em relação ao mesmo período de 2021, quando 493.706 mil pessoas estavam com débitos em atraso, de acordo com dados do Serasa.

Dentro das estatísticas de inadimplência está a designer Samara Silva, 24, que encontra-se com dívidas feitas em cartões de créditos em atraso. Em meio à inflação alta e diminuição do poder de compra, ela conta que fez uso exagerado do crédito em despesas que ultrapassaram os ganhos mensais.

“Estou com uma dívida de R$ 4,5 mil e não vejo possibilidade de pagá-la agora. Tudo está muito caro, e por isso fica bem difícil arcar com os compromissos, e não se endividar”, fala Samara.

De acordo com ela, os gastos que a fizeram entrar na lista de inadimplentes eram essenciais e pontuais, como consulta médica, e a compra em supermercados. Agora ela segue tentando renegociar a dívida, mas ressalta que não tem sido “nem um pouco fácil”.

“É muito difícil você tentar negociar com bancos. Os juros são exorbitantes e as possibilidades de acordo parecem ser mínimas para o consumidor. Nisso, a dívida vai aumentando, e sair da inadimplência se torna uma realidade cada vez mais distante”, lamenta Samara.

Pandemia e recessão

Já quando o assunto é entrar no rol dos com contas em atraso, as coisas parecem ser mais fáceis. Em abril, o indicador de inadimplência da Serasa Experian indicou que o Brasil alcançou o número recorde de consumidores com o nome no vermelho (66,1 milhões), atingindo a maior quantidade da série histórica do índice, iniciada em 2016. A soma das dívidas chegou a R$ 271,6 bilhões.

No cenário de grande inadimplência, a principal causa é a inflação, somada aos diversos entraves econômicos gerados pela pandemia, segundo o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi. De acordo com o especialista, a inflação acumulada em 12 meses chegou a 12,13%, um índice alto, e que afeta diretamente as finanças dos brasileiros.

“Foi justamente quando a inflação superou a casa dos dois dígitos, por volta de setembro e outubro do ano passado, que a inadimplência começou a crescer com força. Isso porque a inflação acaba corroendo a capacidade de pagamento e o poder de compra das pessoas. Dessa forma, a renda gerada pela população brasileira, seja através do trabalho formal ou informal, não é suficiente para chegar até o final do mês, o que acaba levando as pessoas à inadimplência”, analisa Rabi.

No caso dos mais jovens, o índice inflacionário se soma a salários menores, uma vez que essa categoria, geralmente, está em início de carreira, e também suscetível a uma maior instabilidade no emprego. Além disso, fortes contribuintes para o endividamento e inadimplência são os bancos e empresas de cartões de crédito. Segundo o especialista da Serasa Experian, “eles representam 40% da inadimplência que é gerada no país”.

Nesse contexto, o uso do crédito e de serviços bancários devem ser avaliados com cautela pelo consumidor. Economista e professor na Academia de Polícia Militar da Bahia, Raimundo Sousa orienta os jovens a analisarem a capacidade de endividamento, antes de usar o cartão de crédito.

O professor sugere que o consumidor opte sempre por comprar à vista, para obter um desconto, ao invés de fazer compras com cartão.

“Porque o ideal é que a pessoa não comprometa mais de 30% da sua renda líquida com dívidas. Com isso, ela estaria evitando uma série de problemas”, explica Souza.

Apesar do pagamento à vista ser uma alternativa ao endividamento, muitas situações podem influenciar a escolha de outro serviço financeiro para o pagamento de contas, como o uso do cartão de crédito. Para o estudante do curso de edificações, Lázaro Oliveira, 26, o motivo para o uso do crédito foi a perda do emprego. Ele conta que, com isso, não teve outra saída a não ser recorrer a esse recurso para pagar as contas, o mesmo que o levou à inadimplência.

Agora, para contornar a situação, o estudante tem se policiado, e evitado novas dívidas. “Eu não gasto o dinheiro com coisas desnecessárias. Ultimamente, eu tenho feito compras apenas do que realmente preciso, como pagar o aluguel e as contas de energia e água”, conta Lázaro.

Para quitar as dívidas, segundo Rabi, o principal caminho é renegociar. De acordo com ele, “a forma mais fácil é sentar com cada um dos credores e propor uma negociação, de tal forma que as parcelas caibam no bolso da pessoa”, diz.

Mas, quando se trata do público jovem, algumas dificuldades podem surgir no caminho. Isso é o que explica o professor Souza.

“Muitas vezes, o indivíduo inicia no mercado de trabalho há pouco tempo. Então, ele não tem um histórico de vida financeira consolidado. O seu salário no início de carreira é menor. Isso acaba representando uma dificuldade”, frisa.

Nesse cenário, o professor também dá algumas dicas para quem deseja lidar com o dinheiro e cumprir com as suas obrigações financeiras. “A pessoa ter uma planilha com o controle do seu orçamento ajuda bastante. Além disso, pode tentar negociar com o banco a anuidade do cartão de crédito, e a fazer acordo que não comprometa ainda mais o seu orçamento”, explica.

Conteúdo A Tarde

Compartilhe
CONTINUE LENDO

BAHIA

Bahia tem mais de 13 mil casos ativos de Covid-19; veja dados das últimas 24h

Apesar dos números altos, taxa de ocupação geral dos leitos é de 32%.

Compartilhe

Publicado

em

Foto: Reprodução/TV Bahia

A Bahia registrou 3.480 casos de Covid-19 e cinco mortes pela doença nas últimas 24h, segundo o boletim publicado pela Secretaria da Saúde do estado (Sesab) neste sábado (2). Ao todo, são 13.410 casos ativos em todo o estado.

Desde o início da pandemia, dos 1.584.287 casos confirmados, a Bahia contabiliza 1.540.832 casos considerados recuperados e 30.045 mortes.

O boletim deste sábado registra ainda 1.911.502 casos descartados e 345.522 em investigação

Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17h deste sábado.

Os dados ainda podem sofrer alterações devido à instabilidade do sistema do Ministério da Saúde. A base ministerial tem, eventualmente, disponibilizado informações inconsistentes ou incompletas.

Todos os detalhes sobre o boletim epidemiológico podem ser conferidos na plataforma disponibilizada pela Sesab na internet ou pela Central Integrada de Comando e Controle da Saúde do órgão.

Vacinação

Até o momento a Bahia tem 11.614.886 pessoas vacinadas com a primeira dose, 10.694.821 com a segunda dose ou dose única, 6.320.978 com a dose de reforço e 751.261 com o segundo reforço.

Do público de 5 a 11 anos, 972.437 crianças já foram imunizadas com a primeira dose e 556.749 já tomaram também a segunda dose.

Leitos

A Bahia tem 456 leitos ativos para tratamento da Covid-19. Desse total, 144 estão com pacientes internados, o que representa taxa de ocupação geral de 32%.

Desses leitos, 190 são de UTI adulto e estão com taxa de ocupação de 39% (74 leitos ocupados).

Nas UTIs pediátricas, 4 das 23 vagas estão com pacientes (17% de ocupação). Os leitos clínicos para adultos estão com 33% de ocupação e os infantis, com 2%.

Conteúdo G1

Compartilhe
CONTINUE LENDO

Mais Lidas

novo