conecte-se conosco



BAHIA

São João 2022 traz de volta a alegria e aquece as finanças

Após 2 anos de restrições, festa retoma suas características e incrementa a arrecadação dos municípios.

Compartilhe

Publicado

em

Foto: Luciano Carcará | Ag. A TARDE

Uma das maiores festas regionais do país e a mais popular do Nordeste, o São João da Bahia volta em 2022, após dois anos de pandemia, movido pela tradição do arrasta-pé, da música e das comidas típicas e, sobretudo, com a perspectiva de incremento econômico para os cofres públicos municipais e para quem tem no período uma alternativa de renda extra. Conforme a Superintendência de Estudos Econômicos da Bahia, os festejos juninos de 2019 arrecadaram mais de R$ 550 milhões e geraram 50 mil postos de trabalho, em todo o estado. Ainda segundo o órgão, o evento movimenta as finanças de, pelo menos, 311 municípios, ou seja, 74,5% de todo o território baiano, e essas cidades arrecadaram, no último São João, R$ 64,7 milhões.

A autorização das festas juninas na Bahia pelo governo estadual – decorrente da queda dos números de pessoas acometidas pela Covid-19 e do avanço da vacinação – veio acompanhada do anúncio, em abril, do Edital de Seleção Pública para a Celebração de Convênios de Cooperação Técnica e Financeira. A iniciativa, lançada por meio da Superintendência de Fomento ao Turismo do Estado da Bahia (Bahiatursa), teve como objetivo a viabilização do São João e das demais festas juninas. O fortalecimento de festejos em diversas localidades baianas tem, como consequência, “o aquecimento do turismo e da economia no mês de junho”, como ressaltou o governador Rui Costa, na ocasião.

O diretor-superintendente da Bahiatursa, Diogo Medrado, afirma que as expectativas para o São João 2022 são positivas. “Não temos como quantificar o público e a arrecadação, porque cada cidade realiza a sua festa. A nossa intenção, com o edital das prefeituras, foi justamente valorizar e fortalecer a tradição dos festejos juninos em todas as zonas turísticas da Bahia. Temos, sim, a perspectiva de ampliação de arrecadação, bem como do aumento do fluxo turístico dentro do próprio Estado da Bahia, com a presença de milhares de pessoas se divertindo e movimentando a economia de cada lugar, gerando emprego e renda”.

Para a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – Bahia (Abih-BA), o São João se insere neste momento em que, aos poucos, o setor turístico vai recuperando o fôlego. “Foram dois anos sem as tradicionais festas que, além de entreter os baianos e turistas, movimentam a economia do Estado. Impulsionados também pelo verão, os primeiros quatro meses deste ano foram bem melhores que o mesmo período dos anos de 2020 e 2021, com média de ocupação hoteleira de quase 60%”, destaca o presidente da entidade, Luciano Lopes.

O anúncio do São João da Bahia, completa o dirigente da Abih, deixou animado o setor turístico, já que a festa traz uma grande movimentação para o estado, com fluxo de turistas tanto da Bahia, como de outras regiões. “Com o feriado junino, acreditamos em um cenário positivo e de movimento para todo o trade. Só aqui, em Salvador, terá programação aberta ao público em três regiões diferentes da cidade, sendo eles no Subúrbio Ferroviário, Pelourinho e no Parque de Exposições. Além da capital, o São João da Bahia, viabilizado pelo governo estadual, vai apoiar festejo juninos no interior do estado, despertando boas expectativas para a ocupação hoteleira”, avalia.

Artesanato e agricultura

As prefeituras municipais acreditam em uma arrecadação maior em relação a de 2019. Cachoeira, no Recôncavo Baiano, por exemplo, deverá ter um giro financeiro de R$ 1 a R$ 1,5 milhão no período, segundo o secretário de Cultura de Cachoeira, Eduardo Morais. O município do Recôncavo Baiano promove o São João Feira do Porto, tradicional desde a década de 1970, assim chamado porque produtores de cidades vizinham desembarcavam seus produtos artesanais e agrícolas no Porto de Cachoeira, no dia da festa. “Nosso município se transforma em uma vila, com uma programação musical bem planejada, e acreditamos que, este ano, haverá um crescimento de cerca de 30% de público, decorrente do crescimento do fluxo turístico em geral, após dois anos de pandemia”, avalia o gestor.

O prefeito de Candeias, Pitágoras Alves, também está considerando um aumento de público no Arraiá do Aconchego 2022 e um crescimento das vendas do comércio do município da Região Metropolitana de Salvador em torno de 30% a 40%. No último São João (2019), passaram pelo local nos três dias de festa cerca de 30 mil pessoas, conforme o gestor. “Com a grade de shows remodelada e trazendo os melhores nomes artísticos do cenário musical, a expectativa é que esse público cresça consideravelmente. Ficamos dois anos sem o nosso ‘arraiá’, que é conhecido por ser o maior da região. Neste ano, a prefeitura preparou uma grade com diversidade de cantores e bandas nacionais e da região para trazer alegria e muito forró, entre 24 e 26 de junho”, revela.

Juazeiro, na região Centro-Norte da Bahia, não tem um histórico de grandes festas juninas, mas a programação para o mês de junho já está sendo preparada, como o Santo Antônio das Tradições, evento que acontece na orla da cidade, de 9 a 13, com a proposta de valorizar os artistas da terra. “Para 2022, a nossa gestão, que teve início no ano passado, programou um ciclo junino, que começa com os festejos da Padroeira de Santa Teresinha, no distrito de Carnaíba do Sertão. No período do São João, a festa será no interior, em Juremal, outro grande distrito do município. Como este ano marca a retomada dos eventos após a pandemia, a expectativa é que haja um grande público e que muita gente saia de casa para comemorar e festejar”, diz a prefeita Suzana Ramos.

O São João deste ano em Luís Eduardo Magalhães também promete ser “um dos maiores sucessos, como em todo canto do Nordeste”, conforme o prefeito Júnior Marabá. “Passamos dois anos por uma pandemia que deixou a nação forrozeira com saudades das comemorações juninas. Isso deverá aquecer ainda mais o que já é um período festivo bastante propício para o comércio. Tem muitos municípios que consideram o São João como mais um Natal em termos de vendas. Nós vamos festejar o São João nos dias 16, 17 e 18 de junho, uma semana antes da data tradicional, visando atrair o maior número de pessoas da região à nossa cidade para assistir a shows de nomes como Wesley Safadão, Bel Marques, Thiago Aquino, Desejo de Menina e Forró dos Plays. Já os dias 24 e 25 estão reservados para a apresentação das quadrilhas regionais e atrações locais”.

Já em outras cidades, os festejos de São Pedro terão mais evidência. É o caso de Eunápolis, no Sul da Bahia, com o seu já conhecido “Pedrão de Eunápolis”, promovido pela prefeitura municipal. O evento, que acontece de 29 de junho a 3 de julho, atrai turistas de várias regiões e é considerado um importante gerador de emprego e renda. Depois de dois anos sem acontecer, serão cinco dias de festa com atrações nacionais, que se apresentarão no palco principal, além de artistas locais. Com o tema “Encontro de São João com Pedrão”, o evento deverá atrair mais de 100 mil pessoas por noite. Antes, de 13 a 26 de junho, a gestão municipal promove a festa de São João nos bairros e na zona rural, com atrações locais.

Conteúdo A Tarde

Compartilhe
CONTINUE LENDO

BAHIA

Gás de cozinha fica mais caro na Bahia a partir desta sexta

Este já é o quarto reajuste no preço do produto somente em 2022.

Compartilhe

Publicado

em

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Julho já começa com uma péssima notícia para os baianos. O gás de cozinha vai ficar mais caro no estado a partir desta sexta-feira (1º). Segundo o Sindicato de Revendedores (Sindrevgás) o preço para as distribuidoras foi reajustado em R$ 4,90 e o repasse para o consumidor ficará entre R$ 5 e R$ 7.

A medida faz valer a política da Acelen , empresa que controla a refinaria Mataripe (ex-RLAM), de que no dia 1° de cada mês irá rever os preços praticados, podendo haver aumento ou diminuição no valor do produto. De acordo com a TV Bahia, a Acelen não afirmou o aumento, porém, segundo o sindicato, a informação já foi passada para as revendedoras.

Segundo o levantamento semanal da Agência Nacional de Petróleo (ANP), entre os dias 19 e 25 de junho, o preço médio do botijão vendido na Bahia era de R$ 105,78. O valor mais caro do produto no estado foi de R$ 130,00 e o mais barato foi encontrado por R$ 90,00.

Este já é o quarto reajuste no preço do produto somente em 2022. A última alteração aconteceu no início de maio, quando ao contrário das outras vezes, o botijão ficou 10,7% mais barato.

Bahia Notícias

Compartilhe
CONTINUE LENDO

BAHIA

Bahia tem mais de 8 mil casos ativos de Covid-19; veja mais dados da doença nas últimas 24h no estado

Segundo Sesab, nas últimas 24 horas foram registrados 2.744 novos casos conhecidos.

Compartilhe

Publicado

em

Foto: SUAMY BEYDOUN/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

A Bahia segue com números de pacientes com Covid-19 em alta. Nesta quarta-feira (29), o estado tem 8.075 pessoas com coronavírus ativo. O estado registrou uma mortes de pessoas nas últimas 24 horas, vítimas da Covid-19, e 2.744 novos casos ativos, de acordo com o boletim publicado pela Secretaria da Saúde do estado (Sesab) nesta quarta.

De acordo com o órgão, a taxa de novos casos corresponde a um crescimento de +0,17% em relação ao boletim anterior, divulgado na terça (28), e 1.614 pessoas foram consideradas recuperadas nas últimas 24 horas.

Desde o início da pandemia, a Bahia contabiliza 30.025 mortes causadas pela doença, com 1.572.789 de casos confirmados.

O boletim desta quarta-feira registra ainda que 1.908.319 casos foram descartados e 342.588 permanecem em investigação.

Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até às 17h desta quarta.

Os dados ainda podem sofrer alterações devido à instabilidade do sistema do Ministério da Saúde. A base ministerial tem, eventualmente, disponibilizado informações inconsistentes ou incompletas.

Todos os detalhes sobre o boletim epidemiológico podem ser conferidos na plataforma disponibilizada pela Sesab na internet ou pela Central Integrada de Comando e Controle da Saúde do órgão.

Vacinação

Até o momento a Bahia tem 11.615.288 pessoas vacinadas com a primeira dose, 10.688.481 com a segunda dose ou dose única, 6.317.522 com a dose de reforço e 689.976 com o segundo reforço.

Do público de 5 a 11 anos, 970.904 crianças já foram imunizadas com a primeira dose e 553.929 já tomaram também a segunda dose.

Leitos

A Bahia tem 456 leitos ativos para tratamento da Covid-19. Desse total, 141 estão com pacientes internados, o que representa taxa de ocupação geral de 31%.

Desses leitos, 190 são de UTI adulto e estão com taxa de ocupação de 35% (66 leitos ocupados).

Nas UTIs pediátricas, 10 das 23 vagas estão com pacientes (43% de ocupação). Os leitos clínicos para adultos estão com 27% de ocupação e os infantis, com 11%.

Conteúdo G1

Compartilhe
CONTINUE LENDO

BAHIA

Bahia tem alta na geração de empregos em maio; mais de 16 mil novos postos foram registrados

Estado liderou a geração de empregos no mês no Nordeste. Salvador registrou 4.326 postos no mês.

Compartilhe

Publicado

em

Foto: Joá Souza/Futura Press via Estadão Conteúdo

Maio foi o mês de 2022 no qual mais empregos foram gerados na Bahia. Ao todo, foram 16.342 novos postos, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Durante o mês, 76.499 funcionários foram contratados e 60.157 desligados. Com esse saldo positivo, o estado passou a contar com 1.860.558 vínculos celetistas ativos, uma variação de 0,89% sobre o número do mês anterior. Já a capital do estado registrou um saldo de 4.326 postos de trabalho celetista.

Com os números de maio, a Bahia ocupou a primeira posição na geração de postos entre os estados nordestinos. A nível nacional, o estado ficou na quarta colocação.

Todos os cinco grandes grupamentos de atividades econômicas registraram saldo positivo de postos de trabalho. O segmento de Serviços (+4.887 vagas) foi o que mais gerou postos de trabalho celetistas, seguido da Indústria geral (+4.037 vagas), Construção (+3.649 postos), Comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas (+2.258 vagas) e Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura.

No acumulado de 2022, levando em conta a série ajustada, que incorpora as informações declaradas fora do prazo, a Bahia preencheu 62.906 novas vagas. Dentre as vagas, Salvador registrou 18.704 novos postos.

O acumulado do ano faz com que a Bahia ficasse à frente das demais do Nordeste, seguida de Ceará e Maranhão. Em nível nacional, o estado ficou na oitava posição.

Empregos no Brasil

No mês, o Brasil computou um saldo de 277.018 vagas, enquanto o Nordeste registrou um ganho de 48.847 novos postos.

Na Região Nordeste, a Bahia (+16.342 postos) foi seguida pelos estados do Ceará (+7.472 postos), Pernambuco (+6.508 postos), Maranhão (+4.910 vagas), Rio Grande do Norte (+3.519 postos), Alagoas (+3.435 postos), Paraíba (+3.128 postos), Piauí (+2.678 postos) e Sergipe (+855 postos).

Do ponto de vista da variação relativa mensal do estoque, o estado de Alagoas (+0,95%) foi acompanhado pelo Maranhão (+0,92%), a Bahia (+0,89%), Piauí (+0,88%), Rio Grande do Norte (+0,80%), Paraíba (+0,72%), Ceará (+0,62%), Pernambuco (+0,51%) e Sergipe (+0,30%).

O crescimento do emprego celetista também foi observado no Brasil e no Nordeste no acumulado de janeiro a maio, com 1.051.503 e 96.913 novas vagas, respectivamente.

Conteúdo G1

Compartilhe
CONTINUE LENDO

Mais Lidas

novo