conecte-se conosco




BAHIA

Bahia vai ganhar mais oito novos institutos federais de ensino; município de Santo Estêvão será contemplado

Quase 4 em cada 10 institutos ficarão no Nordeste.

Compartilhe

Publicado

em

Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom / Agência Brasil

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançou, nesta terça-feira (12), o plano de expansão da rede federal de ensino técnico, com a criação de 100 novos campi de institutos federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs) pelo país. A iniciativa alcançará todas as unidades da federação e vai gerar 140 mil novas vagas, a maioria em cursos técnicos integrados ao ensino médio. A Bahia é o estado que ganhará mais institutos.

Veja as cidades baianas que serão beneficiadas:

Santo Estêvão, Ribeira do Pombal, Itabuna, Macaúbas, Poções, Salvador, Ruy Barbosa e Remanso

A expansão da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica foi anunciada por Lula em dezembro de 2023, durante sua participação na Conferência Nacional de Juventude. Os institutos federais são instituições especializadas na educação profissional e tecnológica, oferecendo também educação básica e superior. Os cursos são gratuitos.

O objetivo do governo é aumentar a oferta de vagas na educação profissional e tecnológica e criar oportunidades para jovens e adultos, especialmente os mais vulneráveis.

“É com base no investimento na educação que a gente pode ter a certeza de que esse país vai chegar a ser um país de primeiro mundo, um país desenvolvido, um país de uma sociedade composta pela grande maioria de gente de classe média. Porque nós não fizemos opção para ser pobre. Aliás, ninguém gosta de ser pobre, ninguém gosta de se vestir mal, ninguém gosta de comer mal, ninguém gosta de morar mal, ou seja, todos nós nascemos para ter acesso a tudo aquilo que a gente produz”, disse Lula, durante a cerimônia no Palácio do Planalto.

“Então, quando a gente fala em investimento em educação é porque uma profissão dá a um homem e a uma mulher um estado de cidadania que sem educação a gente não conquista”, acrescentou o presidente, destacando ainda a importância da formação profissional para as mulheres, especialmente aquelas que vivem em contexto de violência doméstica.

“A coisa mais importante na educação é que, a mulher tendo uma profissão, ela vai ter um espaço de disputar trabalho no mercado, fora de casa. Porque a mulher não nasceu só para fazer trabalho doméstico, a mulher nasceu para fazer o que ela quiser fazer e trabalhar fora de casa é uma oportunidade”, disse Lula. “Quando a mulher tem uma profissão, quando ela tem um salário e pode custear a vida dela, ela não vai viver com nenhum homem que não goste dela, ela não vai viver por necessidade, por dependência”, ressaltou o presidente.

Serão investidos R$ 3,9 bilhões em obras nos institutos federais, por meio do Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Desse total, R$ 2,5 bilhões são para instalação de novos campi e R$ 1,4 bilhão para melhorias em unidades já existentes, como a construção de refeitórios, ginásios, bibliotecas, salas de aula e aquisição de equipamentos.

O ministro da Educação, Camilo Santana, explicou os critérios de escolha dos municípios que serão atendidos com os novos campi. “Primeiro, olhar para os vazios demográficos, olhar a proporção de matrícula de ensino técnico ofertado também em cada estado e olhar o número de institutos por população em cada estado”, disse.

Rede federal

O Nordeste é a região que receberá o maior número de novos IFs: serão 38 campi nos nove estados. O Sudeste aparece na sequência com 27 novos campi, seguido da Região Sul, com 13; do Norte, com 12; e do Centro-Oeste, com dez. Entre os estados, São Paulo é o mais beneficiado, com 12 novos campi. Minas Gerais e Bahia terão oito unidades, cada. Na sequência, aparecem Pernambuco, Ceará e Rio de Janeiro, com seis, cada, e Paraná, Rio Grande do Sul e Pará, cada um com cinco.

Os institutos federais têm como obrigatoriedade legal garantir um mínimo de 50% de suas vagas para a oferta de cursos técnicos de nível médio, prioritariamente na forma integrada, ou seja, junto ao ensino médio. Mas, segundo Camilo Santana, está sendo pactuado com os reitores que as novas unidades tenham 80% das matrículas de ensino técnico profissionalizante.

“Nós não queremos perder nenhum jovem no ensino médio brasileiro. A escola é a porta para o futuro melhor, a educação transforma vidas, a educação é o grande caminho para transformar uma sociedade mais justa, mais igualitária, mais humana, mais fraterna. E é isso que nós precisamos”, ressaltou o ministro.

De acordo com o governo, até 2002, o Brasil tinha 140 escolas técnicas. Em 2008, em seu segundo mandato, Lula sancionou a Lei nº 11.892/2008, que institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e criou 38 institutos federais.

A Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica é formada pelos IFs, por dois centros federais de Educação Tecnológica (Cefets), escolas técnicas vinculadas às universidades federais, pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná e pelo Colégio Pedro II. Cada uma destas instituições é composta por campi que atuam como unidades descentralizadas de ensino, dessa forma, o ensino dos IFs chega a mais locais.

Atualmente, a rede possui 682 unidades e mais de 1,5 milhão de matrículas. Com os novos 100 campi, passará a contar com 782 unidades, sendo 702 campi de IFs.

Confira lista completa dos 100 novos campi:

REGIÃO NORDESTE

Bahia – 8 – Santo Estevão, Ribeira do Pombal, Itabuna, Macaúbas, Poções, Salvador, Ruy Barbosa e Remanso

Pernambuco – 6 – Goiana, Santa Cruz do Capibaribe, Recife, Araripina, Águas Belas e Bezerros

Ceará – 6 – Fortaleza (2), Cascavel, Mauriti, Campos Sales e Lavras de Mangabeira

Maranhão – 4 – Chapadinha, Colinas, Balsas e Amarante do Maranhão

Paraíba – 3 – Mamanguape, Sapé e Queimadas

Rio Grande do Norte – 3 – Touros, São Miguel e Umarizal

Piauí – 3 – Barras, Esperantina e Altos

Alagoas – 3 – Girau do Ponciano, Mata Grande e Maceió

Sergipe – 2 – Japaratuba e Aracaju

REGIÃO SUL

Paraná – 5 – Maringá, Araucária, Cianorte, Cambé e Toledo

Rio Grande do Sul – 5 – Caçapava do Sul, São Luiz Gonzaga, São Leopoldo, Porto Alegre e Gramado

Santa Catarina – 3 – Tijucas, Campos Novos e Mafra

REGIÃO SUDESTE

São Paulo – 12 – São Paulo (Jardim Ângela e Cidade Tiradentes), Osasco, Santos, Diadema, Ribeirão Preto, Sumaré, Franco da Rocha, Cotia, Carapicuíba, São Vicente e Mauá

Minas Gerais – 8 – João Monlevade, Itajubá, Sete Lagoas, Caratinga, São João Nepomuceno, Belo Horizonte, Minas Novas e Bom Despacho

Rio de Janeiro – 6 – Rio de Janeiro (Cidade de Deus e Complexo do Alemão), Magé, Belford Roxo, Teresópolis e São Gonçalo

Espírito Santo – 1 – Muniz Freire

REGIÃO NORTE

Pará – 5 – Barcarena, Redenção, Tailândia, Alenquer e Viseu

Amazonas – 2 – Santo Antônio do Içá e Manicoré

Rondônia – 1 – Butiritis

Tocantins – 1 – Tocantinópolis

Acre 1 Feijó

Amapá 1 Tartarugalzinho

Roraima 1 Rorainópolis

REGIÃO CENTRO-OESTE

Goiás – 3 – Cavalcante, Porangatu e Quirinópolis

Mato Grosso – 3 – Água Boa, Colniza e Canarana

Distrito Federal – 2 – Sol Nascente e Sobradinho

Mato Grosso do Sul – 2 – Paranaíba e Amambaí

Agência Brasil

Compartilhe
CONTINUE LENDO

BAHIA

Polícia aponta redução de 13% nas mortes violentas no primeiro semestre de 2024 na BA

Números da redução foram apresentados na manhã desta quarta-feira (17).

Compartilhe

Publicado

em

Foto: Divulgação | SSP

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) apontou redução de 13% das mortes violentas na Bahia, no primeiro semestre de 2024, comparado ao mesmo período do ano passado. O dado foi divulgado na manhã desta quarta-feira (17), pelo titular da pasta, Marcelo Werner, durante entrevista coletiva.

Ainda de acordo com a pasta, os meses de maio e junho do atual ano apresentaram os menores números de homicídios desde 2012. Enquanto maio saiu de 432 casos para 347, o mês de junho teve queda de 373 para 282, segundo a SSP.

Tratando-se do semestre, no ano passado, a secretaria computou2.534 mortes violentas, contra 2.206 em 2024, redução de 13%, que, em números absolutos, significa uma diminuição de 326 casos.

BNews

Compartilhe
CONTINUE LENDO

BAHIA

Gov. Mangabeira: Partidos UB, PP, Republicanos, MDB, PSDB, PDT, PRD e PRTB divulgam data das convenções

Publicado

em

A direção municipal dos Partidos UB, PP, Republicanos, MDB, PSDB, PDT, PRD e PRTB divulgaram nesta quarta-feira, 17 de Julho, a data das convenções Municipais, que deverão acontecer no dia 4 de agosto de 2024, com início às 17h, no Colégio Viana, na Rua Agnaldo Viana Pereira, centro de Governador Mangabeira/BA.  

Leia os editais AQUI

FORTE NA NOTÍCIA

https://fortenanoticia.com.br/wp-content/uploads/2024/07/1DIRETOR-DA-FORTE-DA-NOTICIA-PAULO-GALVAO.pdf
Compartilhe
CONTINUE LENDO

BAHIA

Bahia registra aumento de 17% na fila de pessoas à espera de um transplante

Número de doações de órgãos também cresceu

Compartilhe

Publicado

em

Foto: Divulgação

A Bahia registrou um crescimento no número de doações de órgãos no primeiro semestre de 2024, quando foram contabilizados 499 procedimentos. O número representa um aumento significativo em comparação com as 401 captações realizadas no mesmo período do ano anterior. No entanto, no mesmo período, aumentou em aproximadamente 17% o número de pessoas à espera de um órgão compatível para transplante. Enquanto em 2023 a lista de espera contava, em média, com 2.850 pacientes, em 2024 essa média subiu para 3.310 pessoas aguardando por um órgão ou tecido.

O médico Eraldo Moura, coordenador do Sistema de Transplantes, atribuiu esse aumento ao maior acesso ao serviço e à disseminação de informações, que incentivam mais pessoas a buscarem o tratamento. Essa conscientização e facilitação do acesso são aspectos positivos, pois refletem um melhor entendimento da população sobre a importância dos transplantes e a busca ativa por soluções de saúde.

Paralelamente, estes números também demonstram que o aumento nas doações e do número de transplantes realizados ao longo desses primeiros seis meses não foram suficientes para atender a demanda pelo serviço na Bahia.

Isso indica que, apesar dos esforços do governo do estado para implementar melhorias no serviço de transplantes, a exemplo da reativação do transplante de coração que ocorreu no final de 2023, a demanda por órgãos compatíveis ainda supera a oferta. Um dos desafios persistentes é a alta taxa de negativa familiar para a doação de órgãos, especialmente no estado da Bahia, onde cerca de 65% das famílias ainda recusam a fazer doação.

Correio da Bahia

Compartilhe
CONTINUE LENDO

Mais Lidas