conecte-se conosco




BRASIL

INSS convoca 4,3 milhões de pessoas para fazer prova de vida

Aplicativo Meu INSS, Central 135 são formas de regularizar situação.

Compartilhe

Publicado

em

Foto: Rafa Neddermeyer / Agência Brasil

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) convocará 4,3 milhões de aposentados, pensionistas e beneficiários de auxílios de longa duração para fazer a prova de vida anual. Desde o início de 2023 que cabe ao instituto comprovar que o beneficiário está vivo, a partir de cruzamento de dados. No entanto, para os casos em que o rastreamento não é efetivo, o titular precisa fazer ele mesmo a prova de vida.

“Elas se enquadram nos casos em que o INSS não consegue fazer a comprovação de vida por não encontrar o beneficiário em nenhuma base de dados. Por conta disso, é enviada uma notificação via aplicativo Meu INSS, Central 135, e/ou notificação bancária informando que a prova de vida ainda não foi efetivada”, afirmou o INSS. As 4.351.557 de pessoas convocadas são nascidas nos meses de janeiro a março.

Já foram notificadas 3.089.043 pessoas nascidas em janeiro e fevereiro. Nesta quinta-feira foi a vez de 1.262.514 que fazem aniversário em março que estão há mais de 12 meses sem realizar a prova de vida.

Os segurados que receberem a notificação devem procurar o Meu INSS ou o banco onde recebem o benefício para realizar a prova de vida.

Passados 60 dias após as notificações via aplicativo Meu INSS, Central 135, e/ou notificação bancária, não havendo a comprovação de vida, o pagamento poderá ser bloqueado.

Agência Brasil

Compartilhe
CONTINUE LENDO

BRASIL

Professores de pelo menos 25 universidades decidiram pelo fim da greve

A consulta nas 55 universidades foi determinada pelo comando nacional da greve dos professores universitários, ligado ao Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes).

Compartilhe

Publicado

em

Foto: Fábio Rodrigues

Professores de pelo menos 25 universidades federais já decidiram pelo fim da greve iniciada em meados de abril, segundo apuração da Agência Brasil.

O prazo para que os docentes façam assembleias em suas universidades para analisar as propostas do governo e decidir sobre o retorno às aulas termina hoje (21). A consulta nas 55 universidades foi determinada pelo comando nacional da greve dos professores universitários, ligado ao Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes).

A interrupção da greve, no entanto, não significa o retorno imediato às aulas e outras atividades acadêmicas. Cada universidade tem autonomia administrativa para reestabelecer seu calendário para finalização do 1º semestre letivo de 2024 e para o início do 2º semestre letivo de 2024. Os professores da Universidade de Brasília (UnB), por exemplo, anunciaram que retornam às aulas na próxima quarta-feira (26).

Durante o final de semana, o comando nacional de greve vai tabular as respostas das seções sindicais, secretarias regionais e dos comandos locais de greve sobre a continuidade ou término do movimento paredista. Também vai analisar o encaminhamento de retorno das atividades e início da reposição, se na próxima semana ou se apenas no início de julho.

O retorno das aulas também depende do trabalho prestado pelo pessoal técnico e administrativo que, entre outras atividades, é responsável por processar os novos calendários acadêmicos e efetuar eventuais trancamentos de matrícula nos departamentos universitários.

A Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra) também está analisando os resultados da rodada de assembleias das entidades de base ocorridas ao longo desta semana.

Agência Brasil

Compartilhe
CONTINUE LENDO

BRASIL

Morre aos 67 anos, Chrystian, cantor que fez dupla sertaneja com Ralf

Publicado

em

A causa da morte, segundo publicou o Uol, não foi divulgada pela equipe de Chrystian. Ele deu entrada no hospital, na manhã de ontem (19/6), após passar mal em casa e ficou internado, em virtude de diagnóstico que exigia “repouso imediato e tratamento especializado”, conforme sua assessoria.

Em fevereiro, acrescentou o site, Chrystian foi internado no Hospital do Rim, da Fundação Oswaldo Ramos, em São Paulo. Ele havia sido diagnosticado com rim policístico e receberia um transplante do órgão da esposa, Key Vieira, mas teve o procedimento adiado em virtude de um cateterismo.

Através de uma rede social do cantor, a família do artista lamentou sua morte e ressaltou a dedicação de Chrystian à música sertaneja, construindo uma carreira brilhante e marcada por inúmeros sucessos.

Ralf, que formou dupla com Chrystian, lamentou morte do irmão. “Fizemos sempre o nosso melhor. Diante dos nossos compromissos, infelizmente não conseguimos nos despedir. Mas tenho certeza que nosso pai te encaminhará na luz junto ao senhor Jesus”, escreveu em publicação no Instagram.

Compartilhe
CONTINUE LENDO

BRASIL

Lei Seca completa 16 anos com aumento de mortes e acidentes nas rodovias federais em 2024

Publicado

em

Segundo levantamento da PRF, a combinação de álcool e direção matou 77 pessoas em 1.507 sinistros(acidentes) registrados entre janeiro e maio deste ano. Já na comparação entre 2023 e 2022 PRF informa que casos caíram

O número de mortos e de sinistros de trânsito causados pela ingestão de álcool pelo motorista aumentou, respectivamente, 22% e 7% nas rodovias federais brasileiras em 2024.

Segundo levantamento feito pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) a pedido da Associação Mineira de Medicina do Tráfego (Ammetra), 77 pessoas perderam a vida em 1.507 acidentes ocorridos entre janeiro e maio deste ano. No mesmo período do ano passado, 63 pessoas morreram em 1.409 sinistros.

“É inaceitável que 16 anos após a criação da Lei Seca o Brasil ainda registre aumento no número de mortos em eventos evitáveis causados pela associação perigosa e criminosa entre álcool e direção por motoristas que insistem em desprezar a vida”, comenta o diretor científico da Ammetra, Alysson Coimbra.

O levantamento revelou que foram realizadas 18.705 operações da Lei Seca no Brasil neste período. As fiscalizações resultaram na aplicação de 4.013 infrações por constatação de direção sob efeito de álcool, mas o número pode ser muito maior, já que 17.332 infrações foram registradas por recusa ao teste de alcoolemia. “Fica muito difícil acreditar que quem se recusa a fazer o teste do bafômetro não tenha bebido. Quem recusa tem medo de ser enquadrado automaticamente em crime de trânsito. Essa é, infelizmente, mais uma das inexplicáveis brechas da lei”, afirma o especialista.

Segundo o médico especialista em Tráfego, o aumento de 22% das mortes é alarmante porque indica, pela primeira vez desde 2019, que a sequência de queda no número de sinistros e mortes provocados pela bebida pode ser interrompida.

Leia mais AQUI!

Compartilhe
CONTINUE LENDO

Mais Lidas